top of page
Buscar
  • Foto do escritorRenata Tedesco

Desafios na era da experiência do candidato para profissionais de TI


Segundo a Headhunter Renata Tedesco, fundadora da Huntz, a falta de preparo do recrutador impacta diretamente no resultado do recrutamento.





Não é a toa que o mercado de TI está aquecido e sempre abre portas para novos profissionais: segundo Relatório de Inteligência e Informação da Brasscom, divulgado em 2021, a demanda por profissionais da área de tecnologia até 2025 é de 797 mil profissionais, sendo uma média de 159 mil empregos por ano, dentro desse setor.
Apesar de parecer um cenário positivo, visto que as oportunidades são grandes para os profissionais da área de tecnologia, esses números mostram um déficit de contratações, já que a oferta média de profissionais formados na área, ainda segundo o estudo citado anteriormente, é de apenas 53 mil profissionais por ano.

Além do número de profissionais formados ser menor do que a necessidade do mercado, outro pilar que faz com que a demanda por esses especialistas seja grande, é a maneira com que os recrutamentos são feitos. Isso significa que, mesmo que haja profissionais qualificados e em busca de vagas, muitas das empresas e seus recrutadores realizam um processo ineficaz, e exigências que fazem com que candidatos desistam das vagas.

Prova disso é um levantamento realizado internamente por uma empresa de recrutamento, que mostrou que mais da metade dos profissionais de TI abandonam o processo seletivo para vagas dentro das suas áreas, quando há exigência de testes técnicos.

O grande problema, segundo Renata Tedesco, headhunter no mercado de tecnologia com mais de 18 anos de experiência e fundadora da Huntz, não são especificamente os testes, mas sim, as exigências incoerentes com o cargo pretendido.

“É muito comum recebermos demandas de vagas que solicitam determinado cargo júnior, por exemplo, mas que exige experiências que extrapolam os requisitos desta categoria. Ou seja, são exigidas skills e tempo de experiência na área, de um profissional que acabou de entrar no mercado. Isso é refletido também nas exigências dos testes aplicados. É preciso que o recrutador saiba formular e interpretar as características da vaga e, claro, a empresa se disponha a pagar salários coerentes, além de cobrar características e competências compatíveis com determinado serviço contratado ", diz Tedesco.


Candidatos qualificados, ou recrutadores eficientes?


É claro que há um gap no mercado de profissionais de tecnologia, como o próprio estudo que abordamos aqui mostrou, mas é importante entender também que, além da falta de pessoas qualificadas, existe a etapa da contratação que, como diagnosticado anteriormente, precisa melhorar.

De acordo com estudo Índice de Confiança Robert Half 2023, em média 75% dos recrutadores acreditam que contratar profissionais qualificados hoje está difícil, ou muito difícil. Esse dado comprova o fato de que o setor de recrutamento precisa “navegar por águas mais profundas” quando falamos do setor de tecnologia, para que essa missão seja mais facilitada.

Com um recrutamento eficiente e headhunters especializados no mercado da tecnologia, encontrar o candidato ideal para a vaga é, por mais difícil que seja, possível. “Precisamos refletir se o mercado realmente está defasado de candidatos qualificados, ou se os recrutadores são ineficientes. A falta de preparo do recrutador impacta no resultado do recrutamento. Podem inventar todo tipo de sistema, mas enquanto não tiver recrutador preparado para negociar, o mercado será impactado”, reforça Renata Tedesco.

Uma das soluções apontadas pela headhunter e especialista no mercado tech, é a contratação de empresas especializadas em recrutamento para o setor. “Quando a empresa precisa contratar um profissional com bons requisitos e que cumpra demandas consideradas mais complexas, o processo seletivo vai exigir muitos da área interna de RH. A melhor solução nesses casos é contratar uma consultoria externa, como a Huntz, por exemplo. Assim é garantido que os recrutadores estão preparados para encontrar o ‘candidato perfeito’. As empresas precisam entender isso”, diz.

Sobre a Huntz


Mais do que recrutar bons profissionais para as empresas, a Huntz nasce com o propósito de prestar uma consultoria para que os profissionais recrutados sejam realmente os ideais para os cargos pretendidos.

Nós entendemos que muitas empresas estão passando por uma transformação digital e nesse momento é importante ter a ajuda de profissionais experientes para a missão de contratar um time à altura das demandas. O mercado da tecnologia exige expertises específicas de cada profissional, e isso reflete nas expertises também de quem está recrutando.

Um dos principais pilares da Huntz é o trabalho feito com as vagas críticas e estratégicas, dessas que são mais difíceis de encontrar profissionais no mercado e convencê-los a trabalhar em outra companhia, por exemplo.

Por meio do conhecimento e experiência acumulados em mais de 18 anos de mercado, Renata Tedesco, fundadora da Huntz, possui grande experiência e conhecimento na indústria, e uma rede de relacionamentos no mercado digital e tech, ajudando a identificar oportunidades de crescimento para o seu negócio e encontrar os melhores talentos para a sua equipe.

Saiba mais: https://www.huntz.com.br/




CONTATO ASSESSORIA DE IMPRENSA

Jornalista responsável: Gabriela Cunha | Pautei Estratégica

gabriela@pautei.com

(19) 99312-7262

pautei.com


45 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page